The chaos of trouble

A concreta subjetividade de ser.

Sempre assim,
Sempre um pedaço do quebra cabeça
Que nao encaixa.
Sempre essa vontade de fugir
De qualquer lugar
Para qualquer lugar
Fugir de mim?
Fugir de ti?
Fugir das verdades em minha memória
O passado que sempre se repete
E mesmo que eu procure
Náo consigo encontrar aquele momento
Instante em que eu estrago tudo
Sempre precisando de reparos,
Sempre trancada.

Blé blop crec

To tentando fugir do padrao
Fugir do patrao
Fugir do pagao

Fugir da praga que me cerca
Demarcandoapassoslargos
O ritmo da revolucencia
Descomposta cheia de bosta

Que vira em minha direçao e ri
e ró
e ru
e PÁ!

Cabeceando as janelas de onibus
Octopus faiscante
Trac, trac, meio cansativo

Sei nao,
Realidade e fantasia
Depende
Pende, tende,
Prende.

Alegoria ria ria ria ria ria ria ria ria
Rebolovia trasfomeante
Blum, barulho de barriga
Comida comida comida

Piiiiiiiiiii
Apiiiiiiiiiiiiiiiiiita pra cáááá
Qual será a mensagem?
Já envio a bagagem?
Ou é o vizinho
De sacanagem?

Aquiiii, vambora
Aurora Bora Bora
Reluzente
Ente
Mente

Julgamente
Por isso
Julgamudo
O julgamedo.

ErrAr

Ar vou deixar
Ar sem forçar
Ar tua natureza passar
Er para assim poder
Er a mim mesmo pertencer.

(Source: tiny-forest, via themoonphase)

taurnus:

ॐ enchantment ॐ
grandfathergreen:

La Jardinera by Rodrigo Díaz Ilustración on Flickr.

(Source: c-i-g-a-r-r-o-s, via themoonphase)

inatt:

crackcatgypsy:

this made me so happy

I am very happy it did! And since I see that the caption has been removed, which doesn’t make me very happy, I’ll add it again:

SKIN
inatt / moornebheym, 2013 - www.moornebheym.defacebook - store

(via themoonphase)